Parabolas do Inferno 17 - Identidade Rapunzel 2

Restrição

Duração

Livre

11:11 minutos

Sobre o episódio

IDentidade de filho do REI dos reis




IDENTIDADE RAPUNZEL - PARTE 2

Um jovem fugitivo que carregava uma pequena bolsa acaba encontrando a torre onde a Igreja é mantida aprisionada.



Esse jovem tipifica JESUS, ele trouxe dentro de sua bolsa algo que será o primeiro contato que a Igreja terá com sua verdadeira identidade: FILHA DO REI.



Quando temos os primeiros contatos com JESUS, não entendemos logo de inicio nossa identidade.



Quando conhecemos Deus e o que ELE tem para nós, sabemos que tudo que o diabo tem a oferecer não passa de lixo.


Conversas sobre Deus sempre irritam o diabo.



diabo expondo seu desejo profundo de manter a Igreja cativa



JESUS não tem o mesmo interesse em nos abusar como o diabo faz, e isso choca Rapunzel.



"Você vai ser meu Guia"

JESUS disse: Eu sou o Caminho (João 14:6)


Chegou enfim o dia em que a Igreja sairá da prisão.



Experimentando a liberdade em Cristo



Note a mistura de sentimentos que temos quando estamos deixando nossa velha vida para trás.



Note como o diabo fica enfurecido quando a Igreja esta livre de seu cativeiro.



O diabo sabe o significado da coroa, pois ele sabe quem somos para Deus...



Ele teve sua MÃO machucada para SALVAR Rapunzel...



"SALVA O QUE SE PERDEU..."

E o foco é a MÃO daquele que simboliza JESUS na Parábola do Inferno.


Mas ELE foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz ESTAVA SOBRE ELE, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

(Isaías 53:5)



Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; NINGUÉM vem

ao Pai, SENÃO POR MIM. (João 14:6)



O indesistível e amoroso Deus…


Tradução, legenda e edição: Rosaine Dalila Scruff


Your Instructor

Rosaine Scruff

Ex-Chefe de Cabine, Instrutora de Chefes de Cabine de Classe Executiva em Voo Internacional. Atual serva do DEUS Altissímo, destacada a enaltecer e honrar o nome do Topo-Poderoso, Rei da Glória.

Rosaine Scruff