Movido Pela Eternidade - John Bevere - Capítulo 01

Leitura do livro - Por Rosaine Dalila Scruff


FAÇA SUA VIDA VALER A PENA HOJE & SEMPRE

Dedico este livro...

A todos os que trabalham incansavelmente

para edificar vidas para a eternidade.

Sejam encorajados nesta missão.

A Sua vinda é certa e com Ele virá a Sua recompensa.


Faça o download:

John Bevere - Movido pela Eternidade
.pdf
Download PDF • 1.80MB

Transcrição:

Capítulo 1


O ETERNO

Ensina-nos a fazer o máximo com o nosso tempo...

e dá êxito aos nossos esforços.

Sim, dá êxito aos nossos esforços!

Salmo 90:12,17 (NVI)

O desejo da maioria das pessoas é viver uma vida que valha a pena. Isto é um direito e é uma aspiração que vem do coração de Deus. Foi o que Moisés pediu na oração que lemos acima. Ele começou pedindo sabedoria para fazer o máximo que pudesse com seu tempo. Muitas coisas que perdemos na vida podem ser restauradas; no entanto, o tempo mal utilizado nunca pode ser recuperado. Depois que o sol se põe, aquele dia se vai para sempre.

A oração termina com: “Dá êxito aos nossos esforços”, frase que é repetida em seguida. Por que ela é repetida? Moisés não tinha nenhum problema de gramática ou de memória. Isso, na verdade, é a representação de um estilo literário encontrado na escrita hebraica. A repetição é uma forma de enfatizar algo. Em português, quando queremos realçar a importância de uma palavra ou frase, usamos diversos métodos.

Podemos colocá-la em negrito, em itálico, em letras maiúsculas, sublinhá-la ou acrescentar um ponto de exclamação no final. Todos esses recursos são formas de chamar a atenção do leitor para algo que é muito importante. No entanto, os escritores hebreus costumavam escrever uma palavra ou frase duas vezes para destacá-la, mas não porque fossem dados a exageros; eles eram sempre cuidadosos com suas palavras. O fato da frase em questão aparecer duas vezes nesse trecho das Escrituras demonstra não apenas que é a vontade de Deus que tenhamos êxito, mas que Ele é veemente em relação a isso. A ênfase nessa frase vem dele!

Fomos criados para ter sucesso. Deus quer que a nossa vida seja significativa! Antes de ser um desejo nosso, foi primeiro um desejo de Deus, e Ele faz com que isso seja conhecido ao longo de toda a Escritura. Deixe-me relacionar apenas duas passagens:

“O Senhor, teu Deus, te fará ter êxito em tudo o que fizeres” (Dt 30:9; NLT, ênfase do autor).

Observe a palavra tudo, não algumas coisas! Lemos também: “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então farás prosperar o teu caminho, e serás bem-sucedido” (Js 1:8; ênfases do autor).

É preciso ter visão de Deus para desfrutar do sucesso. As Escrituras declaram: “Quem

dá valor à sua própria vida procura se tornar sábio e usar bem a sua inteligência”

(Pv 19:8; ABV).

A sabedoria nos dá o conhecimento e a capacidade para fazermos as escolhas certas no tempo oportuno. A verdadeira sabedoria não é dada aos que têm uma mente afiada; ela é para todos os que temem ao Senhor e estão em Cristo. Para construir uma vida de significado eterno, você precisa fazê-lo através da sabedoria de Deus, e é disso que esta mensagem trata.

A sabedoria gera o sucesso, que gera satisfação duradoura e recompensas. “Se você for sábio, o benefício será seu” (Pv 9:12; NVI). O Senhor não apenas deseja o seu sucesso, como também anseia recompensá-lo por isso. Mais uma vez, lemos: “O Senhor observa passo a passo a vida de quem obedece a Ele de coração. Preparou para eles uma recompensa eterna” (Sl 37:18; ABV).

O fato de que Deus deseja que tenhamos êxito foi enfatizado por boa parte das igrejas nos últimos anos, como de fato se deve fazer. Entretanto, o sucesso muitas vezes é interpretado por nós segundo a forma pela qual a sociedade o define, e não como Deus o vê. Ele é visto com olhos temporais em vez de ser visto com olhos eternos. Isso gera uma compreensão nebulosa do sucesso, e acaba resultando em buscas erradas. Um dia, todos nós compareceremos perante o Juiz do Universo, Jesus Cristo, e se tivermos feito nossa vida valer a pena através da sabedoria de Deus, seremos recompensados eternamente.

Da mesma forma, se nos perdermos em nossos afazeres, seremos punidos ou sofreremos uma perda eterna. Sendo assim, seria sábio gastar tempo procurando descobrir o que Ele espera de nós.

Este é o foco deste livro: fazer a sua vida valer a pena, não apenas hoje, mas por toda a eternidade. E a Bíblia é clara quanto à forma de alcançar esse objetivo; portanto, se queremos ser motivados pelo que é eterno, vamos começar adquirindo o entendimento do que isso significa.


ETERNIDADE

Leia com atenção estes dois versículos:

“Ninguém pode entender a eternidade.”

Jó 36:26 (ABV)

“[Ele] pôs a eternidade no coração do homem.”

Ec 3:11

Eternidade. O que é? Como pode ser definida? Como pode ser entendida? Um dicionário americano a define como tempo infinito1, outro, como o estado de existência fora do tempo2. Como um dicionário pode definir que a eternidade existe dentro do estado temporal, e outro a definir como algo fora dele? E por que isto nunca foi questionado? Será que não questionaríamos um ou dois livros científicos se eles definissem que algo em nosso mundo existe em estados diferentes? Suponhamos que um livro definisse um peixe como um vertebrado que vive na água e outro registrasse que ele vive em ambientes secos. Imediatamente chegaríamos à conclusão de que um deles estava errado e o jogaríamos fora. No entanto, por que não questionamos e jogamos fora uma das definições de eternidade dos dicionários?

A verdade é que a eternidade não pode ser compreendida mentalmente. Nossas mentes são finitas e estão proibidas de captar conceitos relativos ao que é perpétuo ou eterno. Permita-me ilustrar o que digo. Pare por um instante e imagine onde se encontra o fim do universo. Pense nos seus limites exteriores. Se puder fazer isto, então o que você encontra na fronteira? Um muro? Do quê ele é feito? Qual a sua espessura? Será que o lado externo do muro seria o ponto exato do fim do universo? Se for, o que há além da parte exterior do muro? Mais espaço? Isso não viria a ser uma continuação do universo? Onde fica o fim? Apenas pare e pense nisto.

Ou que tal um poço sem fundo? Pode se imaginar caindo em um buraco onde você nunca para de cair? Você nunca atingiria o solo nem o veria; apenas continuaria caindo e caindo para sempre. Duas coisas, e não apenas uma, causam um curto circuito em nosso raciocínio aqui: primeiro, a ausência de fundo; segundo, um tempo interminável de queda. É difícil de compreender e soa como um conceito de ficção científica, mas existe um lugar assim que é mencionado sete vezes nas Escrituras.

E quanto ao próprio Deus, o Criador do homem? Faça uma pausa por um instante e pense em Seu começo, ou, eu deveria dizer, em Seu “não-começo”. As Escrituras afirmam que Ele é “de eternidade a eternidade”. Se Ele não nasceu, se ninguém o criou, então como Ele começou a ser quem Ele é? Como evoluiu? A verdade é que Ele não evoluiu à condição de Deus, pois o salmista declara: “Antes que os montes nascessem e se formassem, de eternidade a eternidade, tu és Deus” (Sl 90:2). Medite nisto por algum tempo e você frustrará o seu raciocínio intelectual, pois, como Jó escreveu, “ninguém pode entender a eternidade”.


COLOCADA EM NOSSOS CORAÇÕES

O que na verdade é declarado como inatingível pela nossa mente natural foi colocado em nosso coração pelo Criador. Nosso coração reconhece a eternidade. Ela nasceu em cada ser humano. É por isso que “diz o insensato no seu coração: ‘Não há Deus’” (Sl 14:1; ênfase do autor). Observe que o versículo não afirma “diz o insensato em sua mente”. Há muitos ateus que negam enfaticamente a existência de Deus, mas bem lá no fundo eles sabem que Ele existe, pois essa certeza foi plantada bem no fundo de seus corações. Eles ainda não endureceram o coração até o ponto da total degeneração.

Tenho um amigo que, anos atrás, era ateu convicto (ou, ao menos, pensava ser) e não permitia que ninguém testemunhasse para ele. Na verdade, certa vez arrancou a Bíblia das mãos de um colega de trabalho, atirou-a no chão e pisou nela, amaldiçoando o homem e sua Bíblia. Ele acusava aquele homem cristão de ser fraco e destituído de cérebro.

Mais tarde, após anos de ateísmo confesso, ele passou a sentir fortes dores no peito.

Os médicos o abriram para fazer uma cirurgia exploratória e imediatamente o fecharam. Os especialistas lhe disseram que ele tinha menos de vinte e quatro horas de vida. Deitado na cama naquela noite, ele percebeu que estava indo para o seu eterno lar, e que não era absolutamente o lugar onde ele queria terminar. Como sabia disso, já que não permitia que ninguém compartilhasse as Escrituras com ele? Só podia ser porque ele tinha a eternidade plantada em seu coração, assim como as Escrituras afirmam com relação a toda a humanidade: “Porquanto a verdade sobre Deus é conhecida por eles instintivamente. Deus colocou este conhecimento no coração deles” (Rm 1:19; NLT).

Naquela mesma noite, seu coração parou. Ele deixou seu corpo e desceu para as densas trevas. A escuridão era tão profunda que ele achou que estivesse vestido com ela; nem um raio de luz podia ser visto. Depois de cair por um bom tempo, segundo lhe pareceu, ele ouviu os gritos aterradores das almas em tormento. Foi puxado por uma grande força até os portões do inferno, quando, de repente, viu-se dentro de seu corpo novamente. Ele voltara a viver.

Na manhã seguinte, telefonou para o único cristão que conhecia. Seu amigo veio e lhe proclamou as boas novas da salvação por meio de Jesus Cristo. Após recebê-lo como seu Senhor e Salvador, seu amigo orou por ele pedindo cura. Três semanas depois, saiu do hospital andando e ainda está vivo enquanto escrevo este livro. Ele é um milagre ambulante.

Como ateu, ele proclamava que Deus não existe, mas a eternidade estava plantada em seu coração. O insensato, por outro lado, é aquele que não apenas negou a Deus mentalmente, mas que resistiu em seu coração até o ponto de cauterizar a sua consciência. Esse está fora de alcance. Uma coisa é prender-se a uma convicção em seu intelecto que pode ser mudada; outra coisa bem diferente é endurecer completamente seu coração. O dicionário bíblico New Unger’s Bible Dictionary dá esta definição:

“Nas Escrituras, o insensato é, em essência, a pessoa que abandona o temor de Deus e pensa e age como se pudesse desconsiderar de forma segura os princípios eternos da justiça de Deus” 3.

O insensato pode, na verdade, reconhecer Deus em sua mente, mas nega a existência dele em seu coração, o que se reflete na forma como vive. O temor de Deus é o que mantém nosso coração ao alcance do Espírito Santo; se esse temor se perder, não restará qualquer esperança para nós. Paulo disse: “Irmãos, descendência de Abraão, e vós outros os que temeis a Deus, a nós nos foi enviada a palavra desta salvação” (Atos 13:26, ênfase do autor). Somente aqueles que temem a Deus são capazes de ouvir as palavras de vida eterna.


DEFININDO ETERNIDADE

A eternidade foi plantada em nossos corações, muito embora seja impossível compreendê-la com o nosso intelecto. Sendo assim, para que possamos defini-la, peço que você ouça seu coração; na verdade, faça o mesmo para se beneficiar de todo este livro. Como fazer isso? Em primeiro lugar, reconheça que você precisa do Espírito Santo e peça-lhe ajuda, o que já fizemos (veja a Introdução). Ele terá comunhão com o seu homem interior, e não com a sua mente. Em segundo lugar, faça pausas para refletir e meditar quando seu coração tiver sido tocado ou for envolvido por certas declarações e verdades. Não leia este livro correndo; se fizer isso, o benefício a ser recebido poderá ser limitado. Para usufruir de todo o impacto da palavra eterna de Deus, siga esses dois passos e você será transformado para sempre. Davi disse: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Sl 119:11). Não leia simplesmente para ter um entendimento intelectual, que pode ser facilmente esquecido ou perdido, mas permita que a Palavra de Deus seja escondida em seu coração por meio da contemplação e da oração.

A eternidade dura para sempre; ela não tem fim. Entretanto, não se trata simplesmente de um tempo que jamais acaba. Falar de eternidade em termos de durabilidade perpétua é perder a idéia geral. Para capturar a melhor visão da eternidade, precisamos olhar para o próprio Deus. Ele não é limitado em poder, conhecimento, sabedoria, compreensão ou em glória, para citar apenas algumas de suas características. Ele é autoexistente; para sempre foi e para sempre será Deus. Ele é chamado de “Pai Eterno” (Is 9:6; NTLH). Algumas traduções da Bíblia dizem: “Pai da Eternidade”4. Ele também é chamado de “Rei da Eternidade” (1 Tm 1:17; AMP). Tudo o que é eterno encontra-se nele. Tudo o que está fora dele é temporal e sofrerá mudança. Não importa o quanto alguma coisa pareça boa, nobre, poderosa ou duradoura, no final ela deixará de existir.

Até a terra e o universo sofrerão mudanças, mas Ele não.

No princípio, Senhor, lançaste os fundamentos da terra, e os céus são obra das tuas mãos; eles perecerão; tu, porém, permaneces; sim, todos eles envelhecerão qual vestido; também, qual manto, os enrolarás, e como vestidos serão igualmente mudados; tu, porém, és o mesmo, e os teus anos jamais terão fim. Hb 1:10-12 (NLT)

Ele não apenas jamais deixará de existir, como também permanecerá eternamente o mesmo. As Escrituras declaram:

Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor; a palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada. 1 Pe 1:24-25

Ele é eterno; portanto, o que Ele diz é eterno. Ele não pode mentir, nem o que diz pode ser quebrado. Se não fosse assim, tudo se precipitaria na escuridão total, pois Deus é luz e sustenta todas as coisas pela Sua Palavra. Nunca pode haver mudança naquilo que Ele diz, do contrário não seria mais eterno. Esse é um firme fundamento sobre o qual podemos edificar as nossas vidas.


JULGAMENTOS ETERNOS

Muitas pessoas hoje em dia não estão edificando suas vidas sobre o que é eterno – a Palavra de Deus – mas sim sobre o pensamento cultural, as tradições, suposições e percepções emocionais a respeito de quem Deus é. Isso não se aplica somente a pessoas que não são cristãs, mas a muitos crentes também. É assustador acreditar em algo temporal como se fosse a verdade eterna. Se esse for o seu caso, seu fundamento está defeituoso e por causa dele você está prestes a cair. Você está acreditando em uma mentira e vivendo num estado de total engano.

Fico impressionado com a quantidade de pessoas que encontro que baseiam sua vida naquilo que não é eterno. Alguns me falam acerca de Deus e de sua crença em Seu Filho, mas aquele a quem confessam simplesmente não é Aquele que está revelado em Sua Palavra. Que grande engano! Como podem acreditar em algo concebido por suas próprias mentes e que foi moldado por uma sociedade que já se declarou contrária à natureza de Deus? Jesus disse:

Quem... não recebe as minhas palavras, tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia. Porque eu